Home | Publicações | Currículo | Links | Contato

Atuação em campo com Oficinas de Criatividade: que Psicologia se faz?
Christina Cupertino
01/10/2008

Download do texto completo (PDF)

Durante vários encontros e simpósios vêm sendo expostas e discutidas
práticas psicológicas e psicoeducativas que têm como um dos objetivos romper com os
enquadres das psicologias mais tradicionais, imprimindo movimentos de transformação
não só na atuação, mas na própria definição e no âmbito do que é o fazer do psicólogo.
Entre elas estão as Oficinas de Criatividade, que vêm sendo descritas em suas várias
modalidades e variações. Alicerçadas numa capilaridade que facilita sua penetração nos
diversos ambientes onde vêm sendo praticadas, despertam em seus participantes outros
olhares e modalidades de troca de experiências. Ao mesmo tempo, deflagram em quem as
implanta o levantamento de questões dirigidas predominantemente aos fundamentos e
procedimentos mais ortodoxos aprendidos ao longo da formação. Com base no
pensamento fenomenológico e em registros obtidos ao longo de supervisões de estágio
de alunos de 5º ano de Psicologia, essa apresentação visa explicitar e discutir alguns
tópicos ligados a conflitos provenientes dos deslocamentos vivido pelos estagiários no
exercício de tais formas mais heterodoxas de exercício profissional. O principal deles é a
questão de que Psicologia se faz fora dos confortáveis contextos controlados dos
atendimentos psicológicos, uma vez que ao longo das supervisões é possível identificar
de que fundamentos e atitudes os oficineiros lançam mão quando facilitam seus grupos
em Oficinas de Criatividade, e como estes podem ser vivenciados em modos
cristalizadores ou transformadores de relação com o outro.
CUPERTINO, C.M.B.
Atuação em campo com Oficinas de Criatividade: que Psicologia se faz?
Anais do 8º Simpósio Nacional de Práticas Psicológicas em Instituições, 2008.




contato@christinacupertino.com.br - 2009 | website desenvolvido por